Observatório da Política Externa do Brasil: Informe nº. 73

Observatório da Política Externa do Brasil (NEI/FDUSP)

Sumário de temas da agenda de política externa brasileira (02.04.2013 – 08.05.2013):

Desenvolvimento, pobreza e ações de combate à fome
PNUD, desigualdade, América Latina

Comércio Internacional, OMC e Sistema Financeiro Internacional
OMC, Roberto Azevêdo, Rodada de Doha

Instituições Internacionais e Cooperação Bilateral
Mercosul, Venezuela, Nicolás Maduro, Equador


Desenvolvimento, pobreza e ações de combate à fome
Por Camila Schipper e Mateus Rabelo

(Fonte: Daniel Zanini, Jean Marconi, Edson Franco, Valter Campanato e Wilson Dias)

No relatório o Protesto Social na América Latina, o PNUD revelou que a maior parte das tensões sociais, institucionais e culturais tem relação direta com as maiores desigualdades socioeconômicas e com a incapacidade dos governos em administrar tais perturbações nos países da América Latina. Isto pode ser constatado no caso de Peru, Bolívia e Argentina com o maior número de protestos sociais, dentre os 2.300 protestos examinados entre 2009 e setembro de 2010.

Haroldo Munoz, subsecretário-geral da ONU e diretor regional do PNUD para América Latina e Caribe destaca a importancia desses protestos inseridos em democracias, os quais podem ser uma ferramenta construtiva das demandas sociais, se gerados através do diálogo e da negocaiação. Apesar de haverem casos de rupturas institucionais, como o golpe de Estado em Honduras, em junho de 2009.

Outro ponto considerado pelo relatório remete à ampliação do acesso à tecnologia na região, o que contribui para a participação cidadã, cujgas demandas versam sobre questões de trabalho, saúde, educação, direitos humanos e questões ambientais, como o controle dos recursos naturais.

Algumas notícias:


Comércio Internacional, OMC e sistema financeiro internacional
Por Alba Araújo e Caique César

Roberto Azevêdo em coletiva na Representação permanente do Brasil na OMC (Fonte: VALENTIN FLAURAUD/REUTERS)
No dia 7, Roberto Azevêdo foi escolhido para ser o próximo diretor-geral da OMC. Azevêdo não só recebeu o maior número de votos como também o apoio de países de todas as regiões e diferentes níveis de renda, superando o candidato mexicano Hermínio Blanco, que possuía o apoio dos EUA e Europa. A decisão foi chancelada pelo Conselho de Entidades no dia seguinte. Azevêdo assumirá em setembro, substituindo o francês Pascal Lamy.No Itamaraty, a vitória foi comemorada como símbolo do posicionamento do país em posições de liderança mundial, ainda que a OMC enfrente problemas. A vitória indica que o Brasil não só é o líder dos países emergentes, como também é uma potência capaz de representar e atender aos interesses inclusive de países desenvolvidos.

Dilma Rousseff divulgou nota parabenizando o novo diretor-geral, comunicando que o governo brasileiro recebe com “satisfação” a escolha do embaixador. Segundo Dilma, caberá à OMC “dar um novo, equilibrado e vigoroso impulso ao comércio mundial, fundamental para que a economia global entre em novo período de crescimento e justiça social”.

 

O ministro de Relações Exteriores, Antônio Patriota, afirmou que o Itamaraty trabalhou intensamente pela candidatura do brasileiro. Patriota disse que um dos aspectos mais importantes da candidatura foi o apoio recebido de países de todas as partes do mundo. Acredita-se que a eleição de Azevêdo seja capaz de destravar as negociações da Rodada de Doha, que se estende há quase 10 anos, iniciada no Qatar, em novembro de 2001, durante a IV Conferência Ministerial da OMC. A rodada propôs a abertura de mercados agrícolas e industriais com regras que favoreçam a ampliação dos fluxos de comércio dos países em desenvolvimento.

Retornar ao topo

Algumas notícias:


Instituições Internacionais e Cooperação Bilateral
Por Henry Suzuki e Priscila Pires

O Equador anunciou formalmente nesta semana que pretende aderir ao Mercosul. O protocolo de adesão deverá ser assinado na próxima reunião do bloco, que ocorre em julho, no Uruguai. A inclusão dependerá da aprovação pelos Parlamentos dos membros atuais. O Equador tem negociado o ingresso no bloco, juntamente com a Bolívia, desde 2009. Na última reunião do Mercosul, em dezembro, o presidente Rafael Correa afirmou que seu governo tem “coincidências ideológicas” com os membros do bloco. No entanto, o país apresenta algumas dificuldades: a política alfandegária é uma delas. A perspectiva para o Mercosul é de mudanças. Recentemente o Paraguai elegeu um novo presidente e o país deve ser reincorporado ao grupo. Além disso, no segundo semestre a presidência do grupo passará para a Venezuela, que foi incorporada ao Mercosul logo após a suspensão do Paraguai.
Após declaração à imprensa, Maduro presenteia Dilma retrato do ex-presidente Hugo Chávez, no Palácio do Planalto (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)

Aliás, nesta semana o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, está em viagem por três países do Mercosul: o Brasil, a Argentina e o Uruguai. O objetivo da viagem é “ratificar o caminho da integração profunda com Uruguai, Argentina e Brasil, e para seguir completando a equação perfeita da integração energética, financeira, social, cultural e política”, disse Maduro, segundo informações da ANSA.

A visita do presidente venezuelano ao Brasil se iniciou na quinta-feira, 09, quando se reuniu com a presidente Dilma Rousseff. Em Montevidéu, Maduro disse que a entrada da Venezuela no Mercosul dará “mais dinamismo” ao bloco. Enquanto isso, a oposição se mantém questionando a legitimidade da eleição de Maduro. No último dia 07, lideranças da oposição entregaram ao Tribunal Supremo de Justiça mais uma ação de impugnação das eleições presidenciais ocorridas em 14 de abril.

Retornar ao topo

Algumas notícias:


Dúvidas sobre o Observatório da Política Externa do Brasil do NEI/FDUSP? Contate-nos em observatorio@nei-arcadas.org.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s