Equipe do NEI vence competição mundial!

Nos dias 08 a 10 de dezembro deste ano, a equipe formada pelas oradoras Letícia Machado Haertel e Juliana da Cunha Mota e pela treinadora Surrailly Youssef representou a Universidade de São Paulo e foi vitoriosa na  7ª Nelson Mandela World Moot Court Competition. Para atingir tal resultado na competição, organizada pela Universidade de Pretoria e pelo Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos, as alunas do NEI-FDUSP colocaram em prática seis meses de trabalho preparatório intensivo.

12299371_1027669180618780_8549680969072175752_n

Letícia e Juliana com seu prêmio de primeiro lugar recebido no moot

Os e as participantes desta etapa foram escolhidos com base na qualidade de sua argumentação escrita. Até cinco universidades de cada região ONU podem ser chamadas para arguir sua defesa em Genebra, sendo que a equipe do NEI garantiu sua participação com o melhor memorial da região. No total, 16 equipes de 13 países diferentes estiveram presentes nas rodadas orais, realizadas na sede da ONU em Genebra.

12339397_941877655887699_5034359042921702678_o

Representantes de 18 equipes diferentes participaram da fase final

A rodada final realizou-se no dia 10 de dezembro, dia internacional dos Direitos Humanos, na sala XX do Palácio das Nações – onde se realizam os encontros do Comitê de Direitos Humanos. A banca foi formada pelo Prof. Robert Roth (Diretor da Geneva Academy in International Humanitarian Law and Human Rights), Prof. Cecile Aptel-Williamson  (Conselheira legal do Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos),  Juiz Fatsah Ouguergouz (Juiz da Corte Africana de Direitos Humanos) e Juiz Dragoljub Popovic (Juiz aposentado da Corte Europeia de Direitos Humanos).
A equipe recebeu o prêmio de primeito lugar das mãos da Deputy High Commissioner for Human Rights, Flávia Pansiere. Ademais, Juliana e Letícia foram consideradas a primeira e a segunda melhores oradoras da competição.

12341339_1028352430550455_4306929129552428420_n

As alunas sendo premiadas por Flavia Pansiere e o Juiz Dragoljub Popovic

 

A fase escrita envolveu a elaboração de dois memoriais com 3000 caracteres cada – um apresenta os argumentos do Estado, e o outro, os das supostas vítimas. Já na fase oral os competidores devem arguir o caso (duas vezes como vítimas e duas vezes como Estado) perante bancas de juízes formados por especialistas nos temas do caso hipotético e por treinadores de outras equipes. Ao final de quatro rodadas, as duas equipes com maiores notas são classificadas para a rodada final. A equipe da USP obteve as maiores notas nas rodadas preliminares e foi classificada para arguir o caso defendendo o Estado na rodada final, contra a Universidade de Yale.

12356900_941872812554850_3850183804910851019_o

Finalistas da competição

A Missão Permanente do Brasil assistiu à rodada final e convidou a equipe da USP e a equipe da UFBA para conhecerem sua sede em Genebra. Durante uma tarde, as participantes receberam explicações sobre o trabalho feito pelos diplomatas brasileiros, tanto no exterior como no Itamaraty. As alunas foram convidadas para participar do programa de formação da missão.

12347783_1028352843883747_7873463313149072262_n

Equipe da USP e da UFBA encontram a embaixadora brasileira junto à missão em Genebra.

Em 2015, o tema do caso hipotético estimulou os participantes a estudarem e debaterem diversos aspectos do direito internacional dos direitos humanos, como direito dos refugiados, limites da liberdade de expressão, o conflito entre direito das mulheres e liberdade religiosa e racismo no esporte. Além do aprendizado intenso sobre tais assuntos e inglês jurídico, os oradores desenvolveram habilidades de sustentação oral, debate, raciocínio rápido e trabalho em equipe. Visando treinar para a competição, a equipe participou de julgamentos simulados com o Professor Virgílio Afonso da Silva (Departamento de Direito do Estado-USP), a Professora Janaína Paschoal (Departamento de Direito Penal-USP), dentre outros.

12314403_941257565949708_6299046278241581577_o

Juliana e Letícia representando o Estado durante as rodadas preliminares

A participação na competição é parte das atividades do Grupo de Estudos Atuação no Sistema Interamericano de Direitos Humanos do NEI (projeto P5’), mas toda a pesquisa para a redação dos memoriais e a elaboração dos argumentos orais foram realizadas exclusivamente pelas oradoras.

Cumpre-se ressaltar que esta vitória não teria sido possível sem o apoio financeiro da comunidade Coreana no Brasil na pessoa do Presidente da Associação Brasileira da Educação Coreana Sr. Jikal; o Sr. Paulo Ko (que propiciou ampla divulgação da iniciativa no jornal coreano Bom Dia News); o Sr. Oh, Sok Jin (do Consulado Coreano em São Paulo) e a demais doadores anônimos.

12357101_941871765888288_889912310314975466_o

As oradoras Juliana e Letícia se concentrando antes da final

O Núcleo de Estudos Internacionais participará da Nelson Mandela World Moot Court Competition em 2016, e você pode fazer parte da nossa equipe! Acompanhe o blog do NEI, nossa página do Facebook e se informe mais em nosso site. O edital do Processo Seletivo será publicado no primeiro semestre de 2016. Contamos com as alunas e os alunos da faculdade para nos ajudar a manter essa história de sucesso.

UPDATE: Vídeo promocional da final da competição.

 

 

Anúncios

3 respostas em “Equipe do NEI vence competição mundial!

  1. Pingback: Resultado de Processo Seletivo |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s